Eliana Ribeiro



Não faz muito tempo que tive o prazer de conhecer o trabalho desta cantora magnífica, através das suas canções pude muitas vezes encontrar força para seguir em frente no caminho de Deus. Muitas de suas músicas tocam nossa alma e nos levam a refletir sobre nossa vida, nossas ações e papel como cristãos.
Em seu DVD, denominado Barco à Vela, a cantora dá seu testemunho, expondo sua vida antes da "libertação", bem como em um retiro de carnaval na Canção Nova. Tratava-se de uma vida de vícios, desregrada, onde não existia felicidade e paz, apenas dor e dependência química, isso ia aos poucos destruindo sua família.

 "Aquilo foi desmontando minha família. Eu brigava muito com minha mãe. Eu nunca gostei muito de cerveja e por isso bebia bebidas mais fortes. Era tanta briga, tanta coisa contra mim que queria aliviar de alguma forma e fazia isso na bebida. Eu tinha “amigos” que bebiam comigo e depois me largavam caída no chão. Meu pai pegava meus irmãos e saía para me procurar, pois eu saía e não voltava, passava à noite na rua."

E seus vícios só pioravam, inclusive influenciavam negativamente na sua saúde, como também na vida estudantil.


"Quantas vezes eu fui ao hospital tomar glicose... Comecei a ter insônia, fui ao médico e comecei a tomar remédios para dormir. Comecei a fumar e tive uma crise horrível, no hospital disseram que estavam com suspeita de que eu havia adquirido pneumonia. Comecei a misturar bebida e medicamentos. Na escola eu simulava uma tosse para poder tomar o xarope e ficar calma dentro da sala de aula. Isso estava se tornando um vício."


"A escola chamou meus pais para dizer que eu estava me envolvendo com drogas e ia acabar repetindo de ano. Foi o que aconteceu."

Os pais de Eliane diante de tudo aquilo que estava acontecendo com a filha, procuram força em Deus, e de muitos modos tentaram reverter aquela situação, estava dando frutos, pois já começava a melhorar seu comportamento. 

"Diante dos meus pecados Deus encontrou uma forma de mudar toda minha família, de levar todos para Ele. Eu comecei a melhorar. "

Só que o "inimigo" não largaria fácil dela, pois sabia que ali estava uma missionária do Senhor.

"Até que chegou o carnaval e conheci um rapaz. Acabei me entregando a ele.
 O rapaz era usuário de drogas e quando a gente saía eu me perdia. Começou tudo de novo."

No entanto, os pais dela, muito menos Deus desistiram de sua filha. O ponto culminante aconteceu quando quase morria por causa do alcoolismo.

"...minha mãe ouviu dizer que na minha cidade ia haver um encontro de jovens e ela queria que eu fosse nesse encontro. Na sexta-feira, que antecedia o encontro, eu pedi que ela me deixasse sair e ela não deixou. Eu disse que ficaria em casa e eles foram para o aniversário de minha avó. Quando eles saíram achei um pouco de vinho, mas como era pouco, peguei o álcool de limpeza e misturei com vinho. Tomei toda aquela garrafa. Comecei a passar muito mal. Senti que algo estava errado, fui até a imagem de Nossa Senhora e comecei a rezar. Nisso, perdi minha visão, caí no chão, comecei a gritar chamar por Jesus porque eu estava morrendo. Consegui chamar uma amiga que me levou para o hospital. Os médicos disseram que eu tinha chegado ao limite."

Não havia mas como aguentar, não dava para prosseguir, se fosse para continuar com aquela vida iria acabar morrendo. Estava no limite, quando chegamos nesse estágio, quando estamos no nosso limite, é quando Deus se mostra para nós, estendendo seu braço forte e nós erguendo do chão, livrando-nos do abismo.

"No outro dia, eu acordei como se nada tivesse acontecido, fui até a cozinha e pedi que minha mãe me levasse para aquele encontro. Eu fiz um propósito de ficar sozinha naquele encontro. Não aguentava mais aquela vida. Na hora do intervalo liguei para aquele meu namorado e ele terminou comigo porque disse que eu era doida. Voltei para o ginásio aborrecida pelo que ele me disse. Antes da Santa Missa, o padre pegou o microfone e disse: "Muitos jovens que estão aqui estão perdidos, mas Deus quer curá-los”. Parece que ele estava falando exatamente o que eu vivia. Continuou dizendo: "Jesus quer revelar no seu coração quem mais o magoou e você irá perdoá-lo, pois a partir daí o Senhor entrará em sua vida"."
"Chorei muito e comecei a orar em línguas e naquele momento eu tive a imagem dos meus pais. A ausência deles foi o que me afetou, sentia um vazio, era para eles que eu tinha de dar o perdão. Eu disse, na oração, que eu os perdoava e também lhes pedia perdão. O padre pediu que nós abríssemos os olhos e abraçássemos quem estava do nosso lado. Esse abraço iria para aquela pessoa que eu tinha perdoado. Quando olhei para o lado vi meus pais vindo em minha direção. Minha mãe sentiu que deveria ir ao encontro. Precisava ser daquele jeito."

Depois da libertação a vida dela mudou totalmente, uma sede insaciável por Cristo foi aflorando, já não conseguia mas respirar outra coisa a não ser Deus, não escutava nada mais do que a palavra sagrada. Estava renovada, transformada pelo Espírito Santo.

"Depois daquilo eu só queria Deus. Toda semana eu me confessava, pois achava que eu era a pior pessoa do mundo. Comecei a participar da Eucaristia, a ler a Bíblia. Fui retomando minha vida. Como foi importante o acolhimento quando vivi uma experiência com Deus! ... Os meus antigos amigos foram se afastando e foram dando lugar aos meus amigos de oração. "

A partir daí, recebeu o chamado de Deus para entrar em uma comunidade, esta foi a Canção Nova.

"Mergulhando em Deus, um dia, eu vim a Aparecida e ouvi uma homilia sobre vocação de vida consagrada em uma comunidade. Isso me tocou. Deus me propôs que eu deixasse tudo e me consagrasse a uma comunidade. Comecei a conhecer a Canção Nova. Em 1999 eu entrei para a comunidade. Só Deus mesmo para fazer algo assim na minha vida."

Infelizmente quem está no caminho de Deus passa sempre por armadilhas do demônio, nesse momento é necessário pedir força e proteção, para que o Senhor nos livre de todo mal, e nos auxilie a vencer tal infortúnio.

"Conheci o Fábio, começamos a namorar. Como queria que ele conhecesse meus pais fomos passar o Natal com minha família. E no dia 28 eu precisava estar na Canção Nova e meus pais nós trouxeram de carro. O nosso carro capotou. Fui para um hospital, quebrei a bacia, a clavícula, o braço, o punho e o pé. Fiquei toda quebrada. O Fábio também ficou muito machucado. Minha mãe também se machucou muito. Mas meu pai havia falecido. Eu não acreditava, passou um filme na minha cabeça. Pedi força para Deus, pois senão eu não iria aguentar."

Essa parte de sua história é resgatada por Eliana no DVD do seu show, onde emocionada ela fala sobre o acidente de carro em que seu pai faleceu.




0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...